LINFEDEMA TRATAMENTO E DIAGNÓSTICO: O QUE VOCÊ DEVE SABER

Home   /   Blog

Linfedema tratamento e diagnóstico: O que você deve saber

Linfedema tratamento e diagnóstico: O que você deve saber

linfedema é um tipo especifico de edema e que exige um diagnóstico correto como em qualquer doença. Além do diagnóstico a causa deve ser definida porque dependendo o tipo do linfedema um tratamento especifico deve ser realizado. Temos que definir se o linfedema é primário, secundário ou misto e a partir da causa (fisiopatologia) programar o tratamento especifico.  Alerta-se que uma forma de tratamento equivocada pode agravar ainda mais o linfedema, portanto é importante essa estratégia.

É fundamental que realize o diagnóstico com um médico que tenha experiência no tratamento do linfedema, normalmente um cirurgião vascular. Isso é fundamental porque profissionais que estão desatualizados vão dizer que não se pode fazer nada e que não há tratamento. Hoje podemos normalizar ou quase normalizar todos os estágios do linfedema inclusive a elefantíase. Portanto, nunca desista de seu tratamento.

O que você tem de saber hoje é que há tratamento para o linfedema e quanto mais precoce começar o tratamento é melhor. Outro dado é que o linfedema não tem cura, mas pode ser tratado e controlado como qualquer outra doença crônica como a hipertensão arterial, diabetes, etc.... O tratamento do linfedema pode envolver uma equipe multidisciplinar dependendo a causa e o estágio clinico.

 A função do médico é fazer o diagnóstico, orientar o tratamento e acompanhar a evolução de cada caso. As principais formas de tratamento são:  a terapia linfática manual, terapia linfática mecânica, terapia linfática cervical, mecanismos de compressão como meias e bandagens que envolve a terapia física.

A terapia física pode ser realizada por profissionais qualificados e com experiência no tratamento do linfedema como médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiras, etc....  Quando o médico encaminhar o paciente para terapia física deve relatar o diagnóstico e as principais formas de terapias que será abordada pelo profissional que vai realizar a terapia física. Portanto, o tratamento deve ser feito em equipe.

A prescrição da meia de compressão deve ser obrigatoriamente do médico experiente e que vai avaliar se não há outro problema vascular que contraindique o uso das meias como, por exemplo, a insuficiência arterial crônica. Dessa forma, a chance de um melhor resultado terapêutico é assegurada.